Musicoterapia

A musicoterapia, é a utilização da música e/ ou dos seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia), exercida por um técnico habilitado, com um ou mais pacientes, num processo relacional que facilita e promove a comunicação, a relação, a aprendizagem, a mobilização, a expressão, a organização do pensamento e outros objectivos terapêuticos relevantes no sentido de ir ao encontro das necessidades físicas, cognitivas, emocionais, sociais e cognitivas do(s) paciente(s). O trabalho do musicoterapeuta não se centra no ensino da música, mas sim no utilizá -la o como mediador da relação entre o terapeuta e o(s) paciente(s), e como actividade promotora de desenvolvimento e reabilitação. Não é a música em si que é terapêutica, mas sim a experiência musical e a relação que ela promove.

A música é a ferramenta central para o desenvolvimento da relação entre o terapeuta e o (s) paciente(s). Normalmente, ambos improvisam (tocam de forma espontânea) juntos podendo utilizar vários tipos de instrumentos. Para além da improvisação (vocal ou instrumental), existem outras técnicas musicoterapêuticas que podem surgir nas sessões como:

  • Construção de canções, ou adaptação de canções pré-existentes;
  • Escuta de canções (que sejam relevantes ao paciente);
  • Análise de letras de músicas;
  • Expressão corporal ou pictórica com suporte musical.

Por vezes, principalmente com crianças muito pequenas, os pais podem ser convidados a participar na sessão. Isto pode ajudar a trabalhar a relação pai – filho e a promover mudanças positivas que podem ser transferidas para fora da sessão.